Other Category

LAGOA GRANDE EM PATOS DE MINAS

Patos de Minas tem uma participação expressiva no Estado de Minas Gerais, sendo cidade pólo regional. A pujança de seu povo eleva o seu crescimento e ainda, impulsiona o desenvolvimento de cerca de 20 outras cidades vizinhas.

PATROCINIO

Patrocínio é um município brasileiro do Estado de Minas Gerais. Sua população contada em 2010 pelo censo era de 82.541 habitantes.Patrocínio é o principal centro da microrregião de Patrocínio, que pertence à mesorregião do Triângulo Mineiro - Alto Paranaíba. Tem uma área de 2.866 km²..

UBERLÂNDIA

Uberlândia é um município brasileiro no interior do estado de Minas Gerais. A cidade localiza-se no Triângulo Mineiro e também pertence à mesorregião do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba e microrregião de mesmo nome, localiza-se a oeste da capital do estado, distando desta cerca de 556 km. .

UBERABA

É uma das cidades que mais crescem no Brasil, contando com mais de 175 bairros e um crecimento populacional de aproximadamente 4.000 hab.por ano.

ARAXÁ

O topônimo "Araxá" significa terreno elevado e plano, planalto, chapadão, região mais elevada do que qualquer sistema orográfico e "Araxás: Indígenas que viviam no tabuleiro elevado do extremo oeste de Minas Gerais"

21 de out de 2011

Prata por Paulo Franco







Prata é um município brasileiro localizado no Estado de Minas Gerais. Com uma população de 25.805 habitantes, detém o maior rebanho bovino do Estado e a segunda maior produção de leite do Triângulo Mineiro. Prata é conhecido nacionalmente como a "Capital do Leite".Índice [esconder]
1 História
2 Geografia
2.1 Clima
2.2 Relevo e Vegetação
2.3 Hidrografia
3 Economia
4 Principais rodovias
5 Atrações turísticas
6 Paleontologia
7 Imagens
8 Referências

[editar]
História

As origens da fundação do Município de Prata prendem-se às primeiras entradas de bandeirantes e aventureiros na região do Sertão da Farinha Podre, hoje denominada Triângulo Mineiro, no Estado de Minas Gerais, com o objetivo de encontrar terras propícias a agricultura e criação de gado.

Entre os anos de 1810 e 1813, o sargento-mor Antônio Eustáquio da Silva e Oliveira, fundador de Uberaba, fez varias incursões no território do atual Município de Prata, demarcando sesmarias para si e seus companheiros. Posteriormente, Antônio Eustáquio e outros sesmeiros doaram o terreno para a construção do arraial que, em 1839, foi elevado à categoria de distrito de paz, com a denominação de Nossa Senhora do Carmo dos Morrinhos.

Desenvolvendo-se rapidamente, o povoado recebeu foros de vila em 1848.

O distrito de paz foi criado em 13 de março de 1839, pela Lei n.° 125, com a denominação de Nossa Senhora do Carmo dos Morrinhos. No ano seguinte, a Resolução n.° 164, de 1.° de março, criou a freguesia. O Município, criado pela Lei n.° 363, de 30 de setembro de 1848, e supresso pela de n. 472, de 31 de maio de 1850, foi restaurado com o nome de Prata e território desmembrado do município de Uberaba, por força da Lei n.° 668, de 27 de abril de 1854. Verificou-se a reinstalação a 2 de dezembro de 1855. A Lei n.° 2 002, de 15 de novembro de 1873, concedeu foros de cidade à sede municipal. A comarca de Prata, criada pela Lei n.° 1 740, de 8 de outubro de 1870, e extinta pela de n.° 375, de 19 de setembro de 1903, foi restaurada em cumprimento a Lei n.° 663, de 18 de setembro de 1903. A reinstalação realizou-se no dia 18 de outubro de 1918, de acordo com o Decreto n.° 5 095, de 3 de setembro desse ano.

Foi o terceiro núcleo urbano a se formar no Triângulo Mineiro (Araxá e Uberaba foram os primeiros). De Prata surgiram todas as cidades do Pontal do Triângulo (Ituiutaba, Frutal, Campina Verde, Santa Vitória, Iturama, Monte Alegre e outras).

É formado pelos distritos de Prata (sede), Jardinésia, Monjolinho e Patrimônio.

Historiadores asseguram que em Prata, por volta do ano de 1857, pela primeira vez, houve um movimento pela emancipação do Triângulo Mineiro do Estado de Minas Gerais, sob o argumento de que o governo mineiro pouco fazia pelo desenvolvimento da região, pois não investia em estradas, saúde e educação, relegando a região ao esquecimento.
[editar]
Geografia

O município de Prata é o maior em extensão territorial do Triângulo Mineiro. A cidade de Prata está situada às margens da BR-153 (Transbrasiliana), no centro geográfico da região. Com a latitude de 19°18'27" sul e longitude de 48°55'22" oeste, estando a uma altitude de 631 metros.
[editar]
ClimaGráfico climático para Prata (MG)
(2002 - 2010)
J F M A M J J A S O N D


334

31
22

195

33
22

183

32
21

108

31
20

40

29
15

8.7

28
14

5.1

29
15

14

32
16

34

34
19

111

35
21

168

33
21

287

32
22
Temperaturas em °C • Precipitações em mm
Fonte: Posto Climatológico da Casa Amarela - Prata (MG) - 19º18'S, 48º55'W, 655m.


Seu clima predominante é o tropical semi-úmido, com chuvas concentradas no verão (dezembro-março) e seca de inverno (maio-agosto). A Temperatura média anual na cidade é de 24°C, mínimas absolutas de 7°C no inverno e máximas absolutas de 40°C na primavera. A pluviosidade média anual fica entorno de 1.450 mm. No verão a temperatura média varia de 22,0ºC à 32,0ºC e a precipitação total de 816 mm (55% das chuvas do ano). No outono a temperatura cai e varia de 18,5ºC à 30,5ºC, com precipitação total de 331 mm (22,3% das chuvas do ano). O inverno é caracterizado por temperaturas mínimas em torno de 14,5ºC e máximas de 28,5ºC, com uma grande amplitude térmica diária em torno de 14ºC, a precipitação total é inferior a 30 mm (1,8% das chuvas do ano). A primavera é marcada por altas temperaturas (o mês de outubro registra as maiores temperaturas do ano) que variam de 20,5ºC à 34,0ºC e a precipitação total é de 313 mm (20,9% das chuvas do ano) com ocorrências de tempestades. Pode-se classifiar também como clima semi árido.
[editar]
Relevo e Vegetação

O relevo é Planalto sedimentar medianamente dissecado na maior parte, relevos residuais a oeste e planície fluvial a leste. Altitude máxima: 866 m - local: Chapadão do Prata (extremo leste do município na divisa com Veríssimo). Altitude mínima: 492 m - local: Rio Verde ou Feio (divisa com Campina Verde). A vegetação é o Cerrado (predominantemente) e a Floresta Estacional Semi-decídua (Mata Atlântica) no vale dos principais rios.
[editar]
Hidrografia

O município está inserido na bacia platina, a segunda maior bacia hidrográfica do continente sul americano, e dividido em duas sub-bacias:Rio Grande - rio Verde ou Feio, ribeirão Boa Vista
Rio Paranaíba - rio Tejuco, rio da Prata, rio Douradinho, rio Cocal, rio das Pedras, rio do Peixe

[editar]
Economia
Atividades econômicas: Pecuária (bovinos-352.984 cabeças, suínos-6.766 cabeças), Agricultura (cana de açucar-2.830 ha, laranja-3.230 ha, milho-1.290 ha, soja-6.000 ha), Indústria (laticínios, alimentícia, química, madeira para fabricação de lápis, transformação), reflorestamento (pinus, eucalipto e seringueira).
Principais Indústrias: Faber-Castell, Atta Capiguara S/A, COOPRATA.
[editar]
Principais rodovias
BR-153 (Transbrasiliana) - ligação com Goiânia ao norte, e São Paulo ao sul.
MGT-497 - ligação com Campo Grande (MS) a sudoeste, e Uberlândia a nordeste.
BR-455 - ligação do Distrito de Patrimônio com Uberlândia e Campo Florido.
Distâncias
75 km de Uberlândia
100 km de Frutal
99 km de Ituiutaba
141 km de Uberaba
308 km de Goiânia
500 km de Brasília
632 km de São Paulo
640 km de Belo Horizonte
908 km de Curitiba
980 km do Rio de Janeiro
1.000 km de Cuiabá
[editar]
Atrações turísticas

A principal atração turística do município fica na região da Serra da Boa Vista, as Pinturas Rupestres datadas de mais de 10.000 anos situadas em um paredão da serra na fazenda do Sr. Ideon. É preciso fazer uma caminhada de 30 min até o local por uma trilha de médio esforço. Na região também fica um sítio paleontológico com fósseis de dinossauros saurópodes, além de vários mirantes, o principal em cima da serra da Boa Vista onde a vista é exuberante.

Outra atração turística é o Morrinho, situado na Serra Seio de Moça a 4 km do centro da cidade, onde a estátua de Nossa Senhora do Carmo foi erguida em 1995. No mirante do Morrinho o visitante tem uma vista de toda a cidade.

Os rios da Prata e Tejuco possuem áreas de lazer para banho e descanso. Os afluentes do Tejuco possuem cachoeiras sobre rochas de basalto, as principais são: Corumbá, no córrego Corumbá a 26 km da cidade sentido Trevão e a do Salto no Hotel Fazenda Solar dos Ipês, a 28 km da cidade sentido Uberlândia.
[editar]
Paleontologia

Neste Município foram localizados fósseis do maior dinossauro encontrado no Brasil, que viveu há mais de 80 milhões de anos na região da Serra da Boa Vista, distante cerca de 40 km da cidade de Prata, cujo nome científico foi denominado de Maxakalisaurus topai, e popularmente escolhido de DINOPRATA, após votação popular, valendo destacar que a réplica do titanossauro (montada em resina), com cerca de 13 metros de comprimento, está exposta no Museu Nacional no Rio de Janeiro, desde 28 de agosto de 2006 (veja importante e detalhado boletim oficial do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro sobre a descoberta e as pesquisas lideradas pelo Professor e Paleontólogo Alexander Kellner):[1]

Maxakalisaurus

- "Pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro descreveram e remontaram o esqueleto fossilizado encontrado no município de Prata, no Triângulo Mineiro, no Estado de Minas Gerais. - Um gigante acaba de ser adicionado à lista ainda modesta mas crescente dos dinossauros brasileiros. Com 13 metros de comprimento e nove toneladas, o Maxakalisaurus topai é o maior dino descrito no país, afirmam os pesquisadores do Rio de Janeiro que apresentaram o bicho ao público ontem. - Junto com a descrição da nova espécie, o paleontólogo Alexander Kellner e seus colegas inauguraram uma reconstrução completa do esqueleto do grande réptil, exposta no Museu Nacional da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Ao lado da réplica de resina o público pode ver também alguns dos fósseis reais do bicho. - "Com toda certeza é o maior dinossauro com nome e sobrenome científicos no Brasil, embora existam materiais maiores que ainda não foram devidamente estudados", diz Kellner, autor da pesquisa ao lado de colaboradores do Museu Nacional e do DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral). A descrição do animal está na edição deste mês da revista científica "Boletim do Museu Nacional". - Quinto elemento - Com estimados 80 milhões de anos de idade, o M. topai foi um comedor de plantas da mesma linhagem que gerou os maiores animais terrestres de todos os tempos. Quatro de seus "primos" do grupo dos titanossauros já tinham sido identificados no Brasil e, tal como ele, vieram do conjunto geológico conhecido como grupo Bauru, que engloba boa parte de Minas Gerais e São Paulo. - Seu esqueleto maciço foi exposto pela primeira vez durante a construção de uma estrada na Serra da Boa Vista . Foi preciso trabalhar de 1998 a 2002 para extrair seis toneladas de fóssil. - "Só as vértebras dorsais pesavam uma tonelada e meia", conta Kellner. Parte do material fóssil estava articulado (na posição em que se encontraria em vida), com alguns outros pedaços mais espalhados. Segundo o paleontólogo, isso sugere a presença de dois indivíduos da espécie, embora seja difícil confirmar isso. O nome da espécie foi escolhido para homenagear os índios maxacalis, de Minas, e uma divindade da etnia, chamada Topa. - Ainda que incompleto, o fóssil traz bastante informação sobre a espécie: há vértebras do pescoço até o rabo, um pedaço do maxilar com dentes, ossos das patas traseiras e dianteiras e do peito. De lambuja, o grupo achou também grandes osteodermas -calombos ósseos que recobriam o couro do animal e são típicos dos titanossauros. - Apesar do tamanho, o bicho mostra que a vida no Cretáceo, a última fase da Era dos Dinossauros, não era mole para herbívoros. Alguns de seus ossos fósseis têm marcas de dentadas, provavelmente deixados por carnívoros que o atacaram ou comeram sua carcaça. - Pode ser que o M. topai tenha tido parentes argentinos. Traços como os osteodermas volumosos e as vértebras da cauda achatadas o aproximam do grupo dos saltassaurinos, achados na Argentina, "embora ele provavelmente fosse mais primitivo que eles", diz Kellner. - O trabalho teve apoio da Faperj (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro) e do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). Os pesquisadores querem lançar um concurso para "batizar" o esqueleto, que já está em exposição no Museu Nacional. (fonte jornalista Reinaldo José Lopes, Folha de S. Paulo - 29.08.2006, pág. A14)"
[editar]
Imagens

Mais imagens no Panoramio: http://www.panoramio.com/map/#lt=-19.2989755&ln=-48.9143359&z=4&k=2

Referências
↑ a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
↑ IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
↑ Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
↑ Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
↑ a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.


Coromandel por Paulo Franco






Coromandel

Coromandel é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. A origem do nome não é um consenso, mas atribui-se relação à Costa de Coromandel na Índia, de onde teriam partido navios carregados com escravos.Índice [esconder]
1 História
2 Geografia
2.1 Aspectos Demográficos
3 Educação
4 Cultura
5 Economia
6 Turismo
7 Transporte
8 Esporte e Lazer
9 Segurança
10 Referências
11 Ligações externas

[editar]
História

As primeiras notícias sobre o povoado que deu origem à cidade de Coromandel datam do início do século XIX. Por volta de 1824, o arraial de Santa Ana do Pouso Alegre, também chamado de Carabandela, contava com aproximadamente 40 casas, a capela dedicada à SantAna e uma ponte de madeira sobre o córrego. A região atraía garimpeiros de diamante e, nessa época a atividade econômica principal era a pecuária. O povoado servia de retiro de descanso e pernoite aos viajantes que circulavam entre Paracatu, Goiás e o leste do país. Em 1870, foi criado o Distrito de Coromandel, inicialmente vinculado à Vila de Paracatu. Em 1882, foi elevado a município, condição revogada posteriormente. Em 1911, de acordo com a nova divisão administrativa do Brasil, Coromandel figura como Distrito do município de Patrocínio. Em 1923, Coromandel obtém finalmente sua emancipação política. Nesta época a pequena vila começa a desabrochar em torno da Igreja Matriz de SantAna, cuja construção, caiada de azul e branco, conserva até hoje seu estilo de graça e beleza perpetuando a origem de sua história. Em 1925 o Sr. Osório de Morais foi nomeado o primeiro Prefeito da cidade. Os dois prefeitos nomeados posteriormente foram o Sr. Egídio Machado e Dr. Ermiro Rodrigues Pereira. Todos eles, juntamente com vários outros nomes, tiveram uma participação significativa na construção, formação e desenvolvimento desta cidade. Em 1932 foi concluída a construção do Grupo Escolar de Coromandel, hoje denominado escola Estadual Osório de Morais, em homenagem a seu fundador. Neste mesmo ano, também foi construído o primeiro cine-teatro da cidade, pelo Sr. Benedito Onisto, na praça da Igreja. Além da salinha de projeção de filmes, que funcionava através de uma manivela, o espaço do cinema servia para a realização de bailes e encenações de peças teatrais. Em 1949 o distrito de Abadia dos Dourados se desmembrou de Coromandel. No final dos anos 50, começaram a aparecer incipientes sinais de modernização. Em 1958, a inauguração do Ginásio Municipal de Coromandel, além de representar importante passo na área da Educação, foi um marco de transformações no universo cultural dos jovens da cidade, com a chegada de novos professores, formação de grupos teatrais, criação de grêmios estudantis, circulação do primeiro jornalzinho, festivais e horas dançantes realizadas no colégio. Ainda em 1958, foi calçada a primeira rua da cidade . Em 1959, foi criada a Companhia Telefônica de Coromandel, encampada posteriormente pela Telemig, em 1974. Também em 1959, foi inaugurado o cine União. Aquele movimento de vaivém e de encontro dos amigos, antes concentrado na praça da Igreja, transferiu-se para a porta do cinema e, mais tarde, as noites ficavam ainda mais sofisticadas com as horas dançantes do Jucas Bar. Até o início da década de 60 a luz elétrica era fornecida por um gerador que funcionava das 19 às 22 horas. Em 1964, foram concluídas as obras da Hidrelétrica Coromandel - Abadia, porém, sua capacidade se tornou insuficiente e em 1969 a energia passou a ser fornecida pela CEMIG. Na década de 60, acontecem importantes e novas transformações na área educacional: Em 1963, foi inaugurada a Escola de Comércio. Em 1964, a Escola Normal e em 1966, a primeira Escola Estadual de 5a à 8a série – Escola Estadual Joaquim Botelho. A ampliação da rede escolar enriqueceu mais ainda a vida cultural e social da cidade. Em 1962, foi inaugurada a agência do Banco do Brasil na cidade. A década de 60 foi marcada pelos bailes, brincadeiras dançantes, serenatas e as tradicionais festas religiosas com barraquinhas em torno da Igreja . Em 1967, foi construída a primeira torre de TV e os primeiros sinais de transmissão alcançaram a cidade. A partir de 1970, o perfil de Coromandel foi profundamente alterado com a chegada de famílias de sulistas, principalmente paranaenses, paulistas e gaúchos, que vieram à procura de terras baratas e produtivas e com o incentivos dados pelo governo federal para a exploração do cerrado, com adoção de técnicas modernas e alteração das culturas dominantes. Aconteceu , paralelamente, uma expansão dos setores secundário e terciário na cidade. Ainda na década de 70 a cidade sofreu profundas transformações urbanas, com ampliação significativa de seus limites urbanizados, recapeamento das ruas com asfalto, iluminação pública a mercúrio, construção do terminal rodoviário, praças e escolas. Em 1980, foi inaugurada a primeira emissora de rádio da cidade, a Rádio Diamante de Coromandel e, posteriormente, em 1993, a Rede Gerais FM. Outra grande conquista na área de comunicação foi a criação da TV Coromandel. Em l982, foi inaugurada a Agência da Caixa Econômica Federal. No final da década de 90, Coromandel é considerado um município promissor, desenvolvido economicamente, sobressaindo-se na produção agropecuária do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, mas ainda com grande potencial de riquezas a serem exploradas. A extração de diamantes tem acompanhado permanentemente a história da cidade. Em 1938, foi descoberto o diamante Getúlio Vargas e quinze entre os vinte maiores diamantes brasileiros foram encontrados no município. Há alguns anos foi introduzida a mecanização nos garimpos, mas a forma artesanal não foi abandonada. Em 1996 foi inaugurada a Casa da Cultura , considerada a melhor e mais bem equipada da região. Sua criação tem o objetivo, segundo seus representantes, de resgatar, preservar e divulgar a cultura e a história do povo da cidade. Juntamente com o desenvolvimento econômico e social de Coromandel, fatos e nomes importantes serviram para projetar o nome da cidade no cenário nacional. A existência do belíssimo e misterioso Poço Verde atrai estudiosos , pesquisadores e apreciadores de várias regiões do país. A consagração do nome de filhos ilustres da cidade, dos quais podemos citar o músico Abel Ferreira que tocou e soprou tão belo e suavemente, através de sua clarineta, a beleza do Luar de Coromandel. Finalmente o saudoso Goiá, compositor e grande poeta, que escreveu e cantou com o próprio coração e cujas composições são hoje interpretadas por grandes nomes da música e relembradas com muito orgulho pelo povo da cidade. Coromandel é uma cidade em desenvolvimento, mas mantém um forte caráter hospitaleiro, já mencionado no início do século pelos primeiros visitantes. Motivo pelo qual é também chamada, além de a Terra do Diamante, de Cidade Simpatia.
[editar]
Geografia

O Município de Coromandel está situado na Mesorregião do Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba e na Microrregião de Patrocínio, com uma extensão territorial de 3.296,27 Km2 e tendo como Limites: Ao Norte, O Estado de Goiás e o município de Guarda-Mor. A Leste, os municípios de Vazante, Lagamar, Patos de Minas e Guimarânia. A Oeste, Os municípios de Abadia dos Dourados e Monte Carmelo. Ao Sul, o município de Patrocínio. Coromandel possui além da sede, os distritos de Alegre, Santa Rosa dos Dourados, Pântano de Santa Cruz, Lagamar dos Coqueiros e Mateiro estes três últimos recentemente criados.

No reelevo de coromandel, se destaca as serras, e sua estrutura geológica é composta por maciços antigos (ou crátons). Dos mais importantes cursos de água, está o Rio Paranaíba (Bacia do Prata), que corta todo o município. E especialmente importante para a cidade é o Rio Burití, pois são suas águas que abastecem a cidade.

Já a vegetação consiste basicamente de cerrados, onde a sua maior riqueza é a fauna e a flora exuberantes, que atraíram o naturalista francês Augustin François César Prouvençal de Saint-Hilaire (Orleães, 4 de outubro de 1779 — Orleães, 3 de setembro de 1853) no início do século XIX. Mas infelismente o desmatamento vem destruindo essa riqueza, que possivelmente irá entrar para a lista de biomas brasileiros ameaçados, juntamente com a Mata Atlântica e a Amazônia.
[editar]
Aspectos Demográficos

O Censo Demográfico de 2007 registrou 27.452 habitantes, dos quais 14.097 do sexo masculino e 13.355 do sexo feminino. Na zona urbana 20.261 habitantes e na rural 7.191 habitantes.

De acordo com a estimativa de 1 de julho de 2006 a população é de 29.298 habitantes.
[editar]
Educação

O Ensino de 1º grau é ministrado em 22 estabelecimentos, dos quais 12 são mantidos pelo governo do Estado, 7 pelo governo municipal e 03 de propriedade particular.

O Ensino de 2º grau é ministrado em 4 estabelecimentos, sendo 02 mantidos pelo governo do Estado e 2 de propriedade particular.

O Ensino Superior dispõe de uma Faculdade Particular. A Faculdade Cidade de Coromandel[1], oferece os seguintes Cursos: Administração Geral, Educação Física, Letras, Normal Superior, Pedagogia e Enfermagem.

O Ensino profissionalizante é ministrado em uma escola do SENAC, onde são ministrados vários cursos de formação e aperfeiçoamento profissional.

O ensino especial é feito pela APAE (Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais).

Temos também com sede na Rua Sebastião Lopes`Pereira, Nº.... UAB (Universidade Aberta do Brasil) que oferece os cursos de Pedagogia pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF),o curso de Administração Pública pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP),também o curso de Sistemas da Internet pelo Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT)e ainda o curso de Educação Física pela Universidade federal de Brasília (UNB, Cursos de Pós-Graduação pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU),contando com salas totalmente equipadas com computadores com acesso a internet, sala de videoconferências, webconferências, sala de vídeo, biblioteca e apoio de tutores presenciais, enfim uma grande conquista para todos os coromandelenses e região, acesso a ensino superior de qualidade e gratuito.

Em 2009, Coromandel ganha um grande presente. A inauguração do CCAA (Centro de Cultura Anglo-americana), uma das escolas de idiomas mais conceituadas do Brasil com Sede no Rio de Janeiro e mais de 800 unidades espalhadas por todo o território nacional.
[editar]
Cultura Esta seção contém uma lista de fontes ou uma única fonte no fim do texto, mas estas não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2009)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.

Personalidades: Gerson Coutinho da Silva, o Goiá, cantor e compositor de músicas sertanejas, dentre as composições mais conhecidas destacam-se: Saudade da Minha Terra, Saudade de Coromandel e Última Esperança. O músico Abel Ferreira possui contribuição de destaque como artista da terra. O artísta plástico Darlan Rosa,cuja trajetória artística inclui 25 exposições individuais em Brasília e nas principais capitais brasileiras, onde a arte pública tem vários instalados atualmente. Entre outros, ele apresentou sua obra em exposições de renome, como a Bienal Internacional de São Paulo de 1976. Fora do Brasil, seu trabalho foi exibido várias vezes em países como a França, El Salvador e Jordânia. Atualmente ele vive em Brasília.
Destacam-se ainda como cidadãos ilustres os magistrados do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios, Desembargadores Jair Soares e Teófilo Caetano Neto.
Expo-Coró: tradicional festa da cidade, mostra agropecuária realizada anualmente no mês de julho, realizando de grandes negócios e calorosas confraternizações.
Canta Coró: festival de música regional que tem o intuito de manter viva a semente plantada por Abel Ferreira e Goiá, celebridades artísticas de Coromandel e do Brasil.
Festa do coromandelense ausente: festa realizada com certa regularidade, normalmente nos aniversários da cidade onde centenas de conterrâneos de todo país vêm participar. Uma festa que fortalece os vínculos dos moradores e de quem um dia teve que se mudar da cidade.
As Folias de reis e as festas de capelas são bastante cultivadas pelas comunidades do município.
A Casa da Cultura, considerada a melhor e mais bem equipada da região. A estrutura abriga a Biblioteca Municipal, várias salas para cursos de arte e música, têm espaço de qualidade para exposições, palestras, seminários, congressos, cursos e reuniões, além de um anfiteatro de 280 lugares.E também é sede da UAB (Universidade Aberta do Brasil) que oferece os cursos de Pedagogia pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF),o curso de Administração Pública pela Universidade Federal de Ouro Preto (que no momento possui duas turmas) (UFOP,também o curso de Sistemas da Internet pela Universidade Federal do Mato grosso (CEFET)e ainda o curso de Educação Física pela Universidade federal de Brasília (UNB)contando com salas totalmente equipadas e apoio de tutores presenciais, enfim uma grande conquista para todos os coromandelenses e região, acesso a ensino superior de qualidade e gratuito.
[editar]
Economia

Coromandel conta com laticínios, postos de resfriamento e moinhos de calcário. A agroindústria é uma das grandes demandas do município, já que a produção agrícola é o grande potencial da economia. Beneficiado pela grande extensão da bacia leiteira, os laticínios têm uma produção que é inclusive exportada para outros estados, principalmente o de São Paulo. Além do leite pasteurizado, há fabricação de requeijão, queijos, iogurte, que na sua grande maioria é comercializada em outros centros.

A Indústria de calcário vem processando seus produtos por várias décadas e as jazidas encontram-se localizadas no município de onde poderá contar com reservas de matéria prima.

O diamante é outra fonte de riqueza do município. Nos garimpos de Coromandel foram encontrados 15 entre os 20 maiores diamantes brasileiros, razão de a cidade ser conhecida, mundialmente, como a "Terra do Diamante". A exploração de diamante é a atividade mais antiga do município e atualmente emprega, informalmente, cerca de 3 mil garimpeiros. Foi nesta cidade encontrado o maior diamante do Brasil em 1933. A pedra foi lapidada e presenteada a Rainha Elizabeth da Inglaterra pelo então presidente Getúlio Vargas.

Na área de serviços, contamos com um hotel com oferta de 78 acomodações, entre quartos e apartamentos, empresas de transporte rodoviário, oficinas, diversos restaurantes e outros mais.

O município é servido pelos Bancos: Brasil, Caixa Econômica, Itaú, Sicoob, Unicred e Bradesco.
[editar]
Turismo

Coromandel tem um grande potencial turístico, inclusive reconhecido pela EMBRATUR desde 1997, quando foi emitido o selo que oficializou esta potencialidade. É uma boa alternativa econômica para o município, que tem belíssimas quedas d'água, ideais para a prática de esportes radicais como canoagem, trilhas e enduros.
[editar]
Transporte

As principais rodovias que passam por Coromandel são a BR-352 e MG-188. A malha viária municipal é de 5.100 km de estradas municipais. A cidade conta com um aeroporto de 1.600 metros de pista asfaltada. O município conta com mais sete campos de pouso.

A distância entre a sede e as principais capitais e cidades é:
Belo Horizonte.......................................... 477 km
Brasília................................................ 420 km
São Paulo............................................... 710 km
Rio de Janeiro.......................................... 915 km
Vitória.......................................... 917 km
Patos de Minas.......................................... 122 km
Uberlândia.............................................. 170 km
Uberaba................................................. 220 km
Patrocínio.............................................. 75 km
Monte Carmelo........................................... 58 km
Araguari................................................ 108 km
[editar]
Esporte e Lazer

Coromandel tem três ginásios cobertos, dois campos de futebol, várias quadras esportivas, clubes, lagoas, cachoeiras e diversos ranchos de pesca na beira de seus rios. Possuem sedes recreativas na cidade a AABB, Guapiara Tênis e o Clube Campestre Boa Vista.
[editar]
Segurança

A polícia judiciária funciona com uma Delegacia da polícia Civil, que está vinculada à 13ª Delegacia Seccional de Patrocínio e à 10ª Delegacia Regional de Patos de Minas.

A polícia ostensiva está a cargo da 98ª Companhia Especial da Polícia Militar, vinculada ao 46º Batalhão da Polícia Militar de Patrocínio e à 10ª Região da Polícia Militar de Patos de Minas. Também atua no município um grupamento de polícia ambiental e outro de polícia de trânsito rodoviário, subordinados à 10ª Companhia de Meio Ambiente e Trânsito de Patos de Minas. A Polícia Ambiental atua no combate a degradação do meio ambiente em conjunto com a Secretaria de Meio Ambiente, AARPAA (Associação dos Amigos do Rio Paranaíba e seus Afluentes), IMA, IEF, CODEMA, Ministério Público e demais órgãos ambientais do município.

Existe em funcionamento no município um CONSEP (Conselho de Segurança Pública), que promove reuniões mensais nas quais a comunidade tem a possibilidade de tratar das questões de segurança juntamente com representantes da Polícia Militar, da Polícia Civil, do Poder Judiciário e do Ministério Público.
Referências
↑ a b Divisão Territorial do Brazil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
↑ IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
↑ Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
↑ Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
↑ a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.







Campina Verde por Paulo Franco






Campina Verde,

Campina Verde é um município brasileiro do estado de Minas Gerais, na região do Triângulo Mineiro. Tem uma população de 19.324 habitantes (IBGE/2010) e área de 3.650,8 km².[3]
Índice
[esconder]
• 1 História
• 2 Esporte
• 3 Vida noturna
• 4 Administração
• 5 Referências
• 6 Ligações externas

[editar]História
Aventureiros, benfeitores e mercadores de gado (marido e mulher), procedente de Jacareí, São Paulo, fugindo da polícia, chegaram ao lugar e se estabeleceram com fazenda. Como não tinham filhos, doaram seus bens para Congregação da Missão. De posse da herança, os padres missionários fundaram o Colégio local, por volta de 1842, na época um dos melhores do Brasil. O município está situado no Triângulo Mineiro e é banhado pelo Rio Verde. A sua exposição agropecuária é bem organizada e muito concorrida. No início de século XIX, fugindo da ação de Justiça, João Batista Siqueira e sua mulher, D. Bárbara, procuraram asilo entre os índiosCaiapós, senhores do extremo oeste do Triângulo Mineiro. Após algum tempo, compraram a fazenda Campo Belo, onde hoje está a cidade de Campina Verde.
Por volta de 1827, João Batista e sua esposa doaram as terras da fazenda para a Congregação da Missão, pois não possuíam herdeiros. A congregação instala ali um de seus colégios e, com o passar do tempo, vai se formando um arraial. Em 1842, em razão da transferência de alunos do Caraça, fechado entre os anos de 1842 e 1856, o colégio recebe enorme impulso. Os primeiros moradores se estabeleceram ao redor da capela construída pelos Lazaristas, onde hoje está a igreja matriz de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, sagrada em 1941. Em 1911, Campo Belo torna-se distrito de Prata e, em 1923, passa a se chamar Campina Verde. O município é criado em 1938. O carnaval de Campina Verde é animado, estendendo-se por cinco noites em uma área de 8.000 m², ao longo da avenida principal.
[editar]Esporte
A cidade participa todos os anos dos JOGOS DO INTERIOR DE MINAS (JIMI), a equipe todo ano recebe reforços de atletas deUberaba(Handebol, vôlei), Uberlândia(Futsal, Basquete), sua melhor participação foi na 1° etapa em 2008, onde a cidade conquistou o 2° lugar no quadro de medalhas, perdendo somente para a cidade Uberaba, que é uma das cidades com mais títulos na história.
[editar]Vida noturna
O município tem uma vida noturna muito movimentada para um local com poucos habitantes. Possui uma razoável rotina de shows de grandes cantores conhecidos nacionalmente e outros do triângulo mineiro. Anualmente promove sua feira nacional de gados, quando grandes artistas da música sertaneja tocam no evento.
Em se tratando de Carnaval, a cidade possui uma festa considerada uma das melhores de Minas Gerais, apesar de ser pouco conhecida no Brasil. Nesse época, Campina Verde recebe milhares de pessoas, vindas principalmente de São Paulo, Triângulo Mineiro e Goiás. Todos os anos grandes bandas do Axé Baiano comparecem ao carnaval, como A Zorra, Tchakabum, Terra Samba, dentre outros.
[editar]Administração
 Prefeito:Reinaldo Assunção Tannús PP(2009/2012)
 Vice-prefeito: José Souza da Cunha PP
 Presidente da Câmara Legislativa: Amarildo Faria de Assis PP (2010/2011)
Referências
1. ↑ a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
2. ↑ IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
3. ↑ a b Censo 2010. Censo 2010 IBGE. IBGE. Página visitada em 9 de agosto de 2010.
4. ↑ Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
5. ↑ a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.



Centralina por Paulo Franco






Centralina

Aniversário 9 de janeiro
Fundação 1954
Gentílico centralinense
Prefeito(a) Joélio Coelho Pereira ([[PMDB]])
(2009–2012)
Localização

Localização em Minas Gerais


Localização no Brasil
18° 35' 02" S 49° 11' 56" O
Unidade federativa Minas Gerais
Mesorregião Triângulo Mineiro/Alto Paranaíba IBGE/2008 [1]
Microrregião Uberlândia IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Uberlândia
Municípios limítrofes Canápolis, Monte Alegre de Minas, Tupaciguara e Araporã
Distância até a capital 665 km
Características geográficas
Área 321,985 km² [2]
População 10 270 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 31,9 hab./km²
Altitude 531 m
Clima Tropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH 0,75 médio PNUD/2000 [4]
PIB R$ 102 076,527 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 9 688,36 IBGE/2008[5]


Centralina é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população recenseada em 2010 é de 10.270 habitantes.Índice [esconder]
1 História
2 Localização da Cidade
3 Turismo
4 Datas festivas
5 Referências
6 Ligações externas

História

O fundador da cidade foi Nicolau Antônio, natural da Sir-Eldânia, Síria, que nasceu em 2 de Fevereiro de 1902 e faleceu em 22 de Abril de 1948, aos 46 anos de idade.

Relato possivelmente de um morador:

"Nicolau veio para o Brasil aos 17 anos de idade, com destino a cidade de Monte Alegre de Minas, onde já vivia parte de sua família. No ano de 1930, comprou uma fazenda à beira da auto-via “Auto Viação Mineira” (atual BR153) que era estrada batida ligando Uberlândia a Goiás. O lugar era saudável e muito bom. As terras sempre férteis e o solo rico, onde abundava um manancial de águas puras. Não bastasse a proximidade do Rio Paranaíba banhando e adubando a terra, uma série de córregos e ribeirões, além de famosas lagoas, faziam parte do aludido cenário, tanto que o motivo alegado para que o senhor Nicolau Antônio comprasse terras na região foi o de que as elas eram consideradas as melhores do planeta. O Sr. Nicolau era um homem simples, humilde, bondoso e inteligente, porém quase analfabeto. Era despido da ganância e interesse, que postavam a maioria dos estrangeiros que se dispunham a viver em nosso país. O Sr. Nicolau não tinha grandes pretensões materialistas, mas mantinha aceso o grande ideal de fazer deste lugarejo, uma cidade grande e conhecida: “A Princesinha do Triângulo Mineiro”. Assim, quando aqui chegavam as pessoas, ele doava terrenos (à época doou 6 alqueires) para que construíssem suas casas e ainda lhes arrumava terras para que pudessem trabalhar. Incentivava o trabalhador rural, doando as terras no regime de plantação a meia, arrendamento ou cultivo experimental. Foi também um dos que mais casas construíram na cidade: cerca de 50 domicílios. Outro que também construiu cerca de 60 casas foi José dos Santos, todas em ótimas condições. Ele muito se preocupou com a educação, tanto que construiu a primeira escola e ofereceu condições para que de Monte Alegre de Minas viessem as primeiras professoras para alfabetizarem crianças e adultos. O Sr. Nicolau veio a falecer em 22 de Abril de 1948, com 46 anos de idade, sendo que menos de 30 anos aqui em nossa região, mas foi o suficiente para impulsionar o crescimento do vilarejo que até então nascia. O Sr. Nicolau não se casou, talvez por ter abraçado com demasiado ardor a terra que o acolheu com muito carinho."


Breve Histórico Político da Cidade: Centralina e Canápolis eram distritos pertencentes ao município de Monte Alegre de Minas. Na época, o Distrito de Centralina se fez representar politicamente pelo vereador Paulo Vilela de Andrade. Canápolis que comungava os mesmos sonhos de desligamento e almejava a mesma situação de progresso somou forças e, juntos, conseguiram a liberdade política, porém, Centralina atrelada ao município de Canápolis. O acontecimento, marcado pela Lei Estadual nº 336/48, ocorreu em 27/12/1948. A 12 de dezembro de 1953, então, é criado o MUNICÍPIO DE CENTRALINA, fato outorgado pela Lei Estadual nº 1.039. Apesar da criação do município, sua comarca ainda hoje é a cidade de Canápolis. Daí Centralina estava emancipada, porém, somente em 09 DE JANEIRO DE 1954, é que foi instalado o município. Os dois municípios enveredaram pelos novos e recém descobertos caminhos da liberdade. À “Princesinha do Triângulo” foi outorgado o direito de ser representada na Câmara por três grandes nomes de peso político: Paulo Vilela de Andrade, Antônio Virgílio dos Santos e Benevides Faria. Canápolis tinha um vereador a mais e a bancada ficou composta por sete homens de maneira que, em nenhuma decisão, se daria um empate. Aconteceu, porém, que a população de Centralina não se contentou apenas com desmembramento, queria mais: a autonomia própria, independente, agora da vizinha Canápolis. Centralina almejava seu próprio poder legislativo, executivo e judiciário, sonhava com sua própria arrecadação de rendas e, conseqüentemente, distribuição de benefícios, e, para tanto, era necessário submeter o pacote de sonhos e esperanças à Câmara de Canápolis, opinião dos sete nomes representativos, ouvir e aceitar o veredito. Tratou-se então de assegurar que a votação fosse favorável à Centralina. Como? Fazendo com que os representantes de Centralina garantissem um voto a mais, afinal eles eram três contra quatro. Um pequeno desentendimento seguido de breve desavença fez com que Filó, representante de Canápolis, votasse com Centralina. Era o voto que faltava, o desempate a favor de Centralina. Centralina emancipou-se, tornou-se município, conquistando seus direitos e, o episódio que seria imediatamente relegado ao esquecimento, pulou para as páginas da História do Município. Tudo isso aconteceu em dezembro de 1953. No ano seguinte (1954), elegeu-se o primeiro prefeito do município, o Sr. Valdemar Guimarães de Almeida, tendo como vice-prefeito, o Sr. Antônio Cabral de Melo. A primeira Câmara de Vereadores foi composta pelos edis: Alfredo José de Faria, Paulo Vieira de Andrade, Benevides José de Faria, Hamilton Pereira Tanus, João Assis Ferreira, José Pereira Filho, José Tomaz de Aquino e Zacarias Fagundes Queiroz.

Localização da Cidade
Distâncias
90Km de Ituiutaba
128Km de Uberlândia
234Km de Uberaba
189Km de Frutal
68Km de Prata
40Km da BR-365
18Km de Itumbiara
663Km de Belo Horizonte
725Km de São Paulo
450Km de Brasília
1.160Km de Rio de Janeiro
1.265Km de Vitória

Turismo

O Município de Centralina é considerado "potencialmente turístico", o que pode ser comprovado pelas paisagens à beira dos Rios Paranaíba e Piedade. Inúmeras construções como ranchos e pousadas podem ser vistas e visitadas por longo trecho daqueles rios. O Rio Paranaíba, com quase 4.000 km de extensão, tem as águas menos poluídas e com grande número de peixes, justamente no local que passa pelo Município de Centralina. A população oferece aos visitantes várias formas de passarem suas horas de folga e lazer. Comidas típicas e os artesanatos também são fonte de atração pelos turistas e muito valorizado por quem os experimenta.

Há festas típicas, como o Congado, Quadrilhas, Encontros Religiosos, Culturais e Esportivos (capoeira, dança, futebol, voleybol, basquetebol), realizadas na cidade, assim como o Carnaval, a Exposição Agropecuária e o Juninão, que atraem milhares de visitantes todos os anos.

Datas festivas
9 de janeiro Aniversário da Cidade
Fevereiro - Carnaval (Carnacen)
Abril ou Maio - Festa de São José e São Sebastião
Maio - Exposição Agropecuária de Centralina MG (Expocen)
Junho - Festas Junina realizada pelas escolas do Município
Julho - Campeonato Regional de Futsal
Setembro - Festa de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito
Novembro - Baile do Hawai
Novembro - Festa do Padroeiro Cristo Rei e Nossa Senhora Aparecida
Dezembro - Reveillon
Dezembro - Kaptura Fest Fantasy (Festa a Fantasia)
Referências
↑ a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
↑ IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
↑ Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
↑ Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
↑ a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.












19 de out de 2011

Monte Carmelo por Paulo Franco






Monte Carmelo

Monte Carmelo é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em 2006 é de 50.694 habitantes. A principal atividade econômica da cidade é a produção de telhas, tijolos, artefatos cerâmicos e também é destaque na produção de curtume e de embalagens e ainda na produção de café,onde há graõs de altissíma qualidade servindo o Brasil com o café do cerrado carmelitano. O município, juntamente com Araguari , Uberaba e Patrocínio, está no eixo de destaque da produção do melhor café do cerrado para exportação, no Brasil.Índice [esconder]
1 História
1.1 1840: Início da povoação por garimpeiros
1.2 Fundadora: Clara Chaves
1.3 1870: Freguesia e ou Povoado de Carmo da Bagagem
1.4 1882: Vila
1.5 1891: Confirmação do Distrito
1.6 1892: Elevação à categoria de cidade
1.7 1893: Instalação Solene da Comarca
1.8 1896: Fronteiras com Patrocínio
1.9 1900: Mudança de Nome
1.10 1900: Formação administrativa
1.11 1923: Criação ao Distrito de Douradoquara
1.12 1938: Extinção do Distrito de São Sebastião da Ponte Nova
1.13 Mudança de denominação
1.14 1963: Emancipação Política dos Distritos
2 Educação
3 Campus da UFU
4 Acessos
5 Distâncias às principais cidades
6 Referências
7 Ligações externas

[editar]
História

A escolha da localidade se deu quando os bandeirantes estavam desbravando a região e como aqui é longe da costa onde havia gente, ou seja, mercado consumidor e fácil exportação, eles então estavam procurando alguma mercadoria que poderiam explorar e carregar facilmente para vender ou trocar.

Na época a região de Estrela do Sul, era conhecida pelo Rio Bagagem, onde as lavadeiras da região achavam diamantes na "flor d'água" e os bandeirantes como bons exploradores que eram, chegavam na região e conversavam com os moradores e esta história foi contada a eles. Então começaram a exploração onde já era o município de Bagagem (hoje Estrela Do Sul). Após o começo da exploração de diamantes o povoado cresceu rapidamente e conseqüentemente desorganizado e cheio de aventureiros e pessoas sem boa indole.

Os bandeirantes queriam encontrar um lugar um pouco afastado de Bagagem onde eles poderiam trazer suas famílias e então chegando na região onde hoje é Monte Carmelo, viram dois córregos (Mumbuca e Olaria) que possuíam boa quantidade e qualidade de água. Então as famílias foram povoando a região e passou a se chamar Carmo do Bagagem, um distrito ligado a Bagagem, todas as decisões e a administração do povoado estava subordinado a Bagagem.

O nome veio quando uma comitiva de carmelitas chegou na região e o povo queria mudar o nome da cidade que já não mais pertencia a Bagagem, mas por outro lado, não queriam que mudasse muito e estas carmelitas identificaram um morro (hoje conhecido como Igrejinha) que parecia com um morro de Israel chamado de Monte Carmel (carmel em árabe significa uvas de Deus).

A padroeira da cidade é Nossa Senhora do Carmo e a paróquia foi erguida em 1870.
[editar]
1840: Início da povoação por garimpeiros

Os primeiros movimentos que deram origem ao povoado tiveram início em 1840.

Diversos moradores de São João del-Rei e Tamanduá (Itapecerica) e de outras cidades do pais, atraídos pela descobertas de garimpos diamantíferos em Bagagem (Estrela do Sul) e depois em Nossa Senhora D’Abadia de Água Suja (Romaria), migraram para Monte Castelo.

Por causa do ambiente dos garimpos, pouco recomendado à famílias e ainda, devido ao clima saudável e excelente água dessa região, estes pioneiros, deixavam aqui suas famílias e se dirigiam para os garimpos à cata de diamantes. Assim formou-se o povoado.
[editar]
Fundadora: Clara Chaves

Contam os primeiros habitantes que nesta região havia uma fazendeira chamada Clara Chaves. Dona Clara era muito devota de Nossa Senhora do Carmo. Por isso, doou a área de uma légua quadrada (6 km x 6 km) à Nossa Senhora do Carmo, região onde estavam localizadas as famílias dos garimpeiros, para que aí se construísse uma capela em louvor à Santa. Nesta área iniciou o povoado, que pertenceu à freguesia de Araxá e posteriormente à de Patrocínio.
[editar]
1870: Freguesia e ou Povoado de Carmo da Bagagem

Em 14 de setembro de 1870, o distrito de Bagagem emancipou-se eclesiasticamente de Patrocínio, tornando-se paróquia. Com isso, a freguesia de Nossa Senhora do Carmo também se desmembrou daquela paróquia, anexando-se à recém-criada paróquia da Bagagem, com denominação de arraial ou povoado de Carmo da Bagagem.
[editar]
1882: Vila

Em 6 de outubro de 1882 pela lei provincial nº 2.927 a freguesia do Carmo da Bagagem foi levada à categoria da Vila.
[editar]
1891: Confirmação do Distrito

Em 14 de setembro de 1891, pela lei estadual nº 2 é confirmado a criação do distrito.
[editar]
1892: Elevação à categoria de cidade

Em 24 de maio de 1892, por força da Lei estadual nº 23, Carmo da Bagagem é elevada à cidade.
[editar]
1893: Instalação Solene da Comarca

A Comarca foi criada pela lei estadual nº 11 de 13 de novembro de 1891, sendo instalada solenemente em 4 de abril de 1893, por Dr. Tito Fulgêncio Alves Pereira, seu primeiro Juiz de Direito, que se tornou um dos maiores nomes da magistratura mineira.
[editar]
1896: Fronteiras com Patrocínio

Em 1896 a comarca do Carmo da Bagagem estabelece suas fronteiras com Patrocínio.
[editar]
1900: Mudança de Nome

Em 25 de junho de 1900 pela lei estadual nº 286, Carmo da Bagagem passou a denominar-se Monte Carmelo.

O nome da cidade tem sua origem num monte situado próximo à sede, o qual se chama Monte Carmelo, devido sua semelhança com Monte Carmelo, morro existente na Palestina, perto de Nazareth.Esse morro nos arredores da cidade tem no seu cume uma capelinha em homenagem a São Jose.Todo ano no dia 19 de março celebra uma missa na capelinha.
[editar]
1900: Formação administrativa

Nessa ocasião o município de Monte Carmelo abrangia cinco distritos de paz: Monte Carmelo (sede), Nossa Senhora D’Abadia de Água Suja, São Sebastião da Ponte Nova e Espírito Santo do Cemitério (Iraí de Minas), Santa Cruz do Boqueirão (Doradoquara).
[editar]
1923: Criação ao Distrito de Douradoquara

Perdeu o distrito da sede parte de seu território com a criação do Distrito de Doradoquara (Ex-Santa Cruz do Boqueirão) o qual continuou a pertencer ao município contando com 5 distritos: Monte Carmelo (sede), Doradoquara, Iraí, Nossa Senhora D’Abadia de Água Suja, São Sebastião da Ponte Nova.
[editar]
1938: Extinção do Distrito de São Sebastião da Ponte Nova

Pela Lei Estadual nº 148 de 17 de dezembro de 1938 o distrito de São Sebastião da Ponte Nova foi anexado ao recém-criado município de Nova Ponte, ficando o município composto apenas de 4 distritos: Monte Carmelo, Água Suja, Iraí e Doradoquara.
[editar]
Mudança de denominação
1944: O Distrito de Iraí passou a denominar-se Bagagem.
1954: O Distrito de Bagagem voltou a chamar-se Iraí sendo-lhe acrescentado a esse nome a especificação – de Minas, ou seja, Iraí de Minas.
[editar]
1963: Emancipação Política dos Distritos

Em 31 de dezembro de 1963 o município perdeu os distritos de Romaria (Ex-Água Suja), Iraí de Minas e Doradoquara, que passou a chamar-se Douradoquara.

Os mesmos tornaram-se sede de novos municípios pela divisão administrativa do Estado de Minas Gerais publicada no Órgão Oficial daquele dia.

Assim, o município de Monte Carmelo ficou com os distritos de Celso Bueno e Gonçalves.
[editar]
Educação

A cidade conta com várias instituições de ensino:
Seis escolas estaduais de ensino fundamental.
Três escolas estaduais de ensino médio.
Dois colégios particulares com ensino fundamental e médio.
Três instituições de Ensino Superior particular
FUCAMP
UNIPAC
COC
[editar]
Campus da UFU

Em Monte Carmelo, está localizado um dos campi da Universidade Federal de Uberlândia. Inaugurado no primeiro semestre de 2011. Sendo ministrado os cursos de Agronomia, Engenharia de Agrimensura e Cartográfica e Sistemas de Informação, todos estes á modalidade Bacharelado.

Expansão

O campus de Monte Carmelo, está funcionando em instalações temporárias, cedidas pela Prefeitura. Os locais foram adaptados pela própria administração para comportar as atividades didáticas e administrativas do campi. Em paralelo, está sendo desenvolvido os projetos dos campi definitivos, que serão construídos em áreas doadas por cidadãos carmelitanos. Acredita-se que as atividades poderão ser transferidas para esses campi no segundo semestre de 2013. O projeto, segundo o Reitor Prof° Alfredo Júlio Fernandes Neto, não para por aqui. Cerca de 10 cursos de Bacharelado serão abertos, gerando muitos empregos e perspectiva para a cidade.

TvU sobre Monte Carmelo
[editar]
Acessos
Principais rodovias que servem de acesso a Belo Horizonte: BR-381, BR-262, MG-187, MG-230, BR-365, MG-223, MG-190
Principais rodovias que servem ao município: MG-223, MG-190, BR-365, BR-352
[editar]
Distâncias às principais cidades
São Paulo - 631 km
Belo Horizonte - 503 km
Uberlândia - 107 km
Uberaba - 148 km
Araguari - 95 km
Patrocínio - 85 km
Referências
↑ a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
↑ IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
↑ Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
↑ Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
↑ a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010

Araguari por Paulo Franco






Araguari

Araguari é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Está localizado no norte do Triângulo Mineiro, junto ao rio Jordão, um afluente do Rio Paranaíba, a uma altitude que varia entre 940 e 1.087 metros.

O município de Araguari tem uma área de 2.744 km², com 1.262 km² de área urbana e 1.481 km² de zona rural. Com uma população de 109.801 habitantes de acordo com o Censo de 2010, é a terceira maior cidade do Triângulo Mineiro.Índice [esconder]
1 História
2 Geografia
2.1 Posicionamento
3 Subdivisão
3.1 Bairros
3.2 Diversão
4 Obras
5 Economia
6 Educação
7 Transporte
8 Referências

[editar]
História

A história de Araguari começa no século XVIII, em meados de 1888, quando desbravadores bandeirantes chegaram a região onde hoje está situada a cidade. Começou como vila depois passou a ser cidade, começou com cerca de 5.000 habitantes segundo historiadores, mas em cerca de dez anos a população teve um salto de 5.000 habitantes para 25.201 habitantes, com contribuição das ligações ferroviárias. Na década de 1930, Araguari se destaca como uma das poucas cidades Brasileiras com mais de 40.000 habitantes. A cidade tinha o nome de Brejo Alegre devido a um córrego da cidade.
[editar]
Geografia

Está localizado no nordeste do Triângulo Mineiro, junto do rio Jordão, um afluente do Rio Paranaíba, a uma altitude que varia entre 940 e 1.087 metros. Segundo a Embrapa, a cidade tem 12 km² de zona urbanizada.[6] A cidade também está localizada em um ponto estratégico de escoamento da produção do centro-oeste para São Paulo. Araguari tem como vizinha a cidade de Uberlândia, a maior cidade do Triângulo Mineiro.
[editar]
Posicionamento

Posicionada em local estratégico no eixo São Paulo - Brasília e interligada a todo o território nacional por meio de rodovias ou ferrovias, Araguari conta com uma área de 2774 km², sendo 54% de área rural e 46% de área urbana. Araguari é, hoje, 23ª maior cidade do Estado de Minas Gerais. Com sua população com quase 110.000 mil habitantes, é uma importante cidade do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. A cidade é também conhecida como "palco do maior erro judiciário cometido no Brasil", que é O Caso dos Irmãos Naves.
[editar]
Subdivisão
[editar]
Bairros
Aeroporto
Alvorada
Amorim
Beatriz
Bosque
Brasília
Centro
Conjunto Amparo
Conjunto Mauá
Distrito Industrial
Eduardo Mendes (Aeroporto)
Eduardo Moreira (Aeroporto)
Goiás
Goiás (Parte Alta)
Gutierrez
Idelmino
Independência
Industrial
Jardim das Hortênsias
Jardim das Rosas
Jardim de Fátima
Jardim Ipanema
Jardim Milenium
Jardim Panorama
Jardim Regina
João Calixto
Jóquei Clube
Maria Eugênia
Miranda
Morada de Fátima
Nossa Senhora da Penha
Novo Horizonte
Oliveira
Paineiras
Palmeiras do Império
Paraíso
Parque Flamboyants
Residencial Madri
Residencial Interlagos 1
Residencial Interlagos 2
Santa Helena
Santa Terezinha
Santiago
Santo Antônio
São João
São Judas Tadeu
São Luiz
São Sebastião
São Vicente de Paula
Sewa
Sibipuruna
Vieno
Vila Militar
Monte muriá
Portal de Fátima
[editar]
Diversão

Araguari foi planejada com muitas praças e áreas de lazer, sendo possível andar de uma a outra conhecendo a arquitetura da cidade, que reúnem casas de muitos estilos e épocas. A cidade conta com um teatro e um museu importante, localizado no Palácio dos Ferroviários, que também é um ponto turístico, prédio imponente, histórico, sede da prefeitura municipal. A Casa da Cultura, antiga cadeia (palco de grandes acontecimentos que virou até filme), abriga uma sala de teatro e exposições. O Bosque John Kennedy, uma das maiores reservas florestais urbanas do Brasil, é ponto de visita obrigatório. Além disso, Araguari tem uma vida noturna com muitas opções de bares e restaurantes, boates, clubes de dança. Nos arredores há mais de cem cachoeiras, além de estar localizada entre rios e represas. Trilhas, e fazendas centenárias para quem procura aventuras. A Cidade chegou a possuir 5 salas de cinemas, que foram fechados, sendo um deles, o Cine Apolo, na praça Manoel Bonito, a primeira sala com projeção em 70mm (Cinerama)que foi transformado em centro cultural. Hoje, a cidade voltou a contar com moderna sala de cinema, dotada com modernos equipamentos de projeção e áudio, o Cine Odette.
[editar]
Obras

Araguari vem se desenvolvendo muito nos últimos anos, com várias obras de infra-estrutura, mais de tres mil casas e apartamentos financiados pelo Governo Federal, a duplicação da BR-050 com a construção de doze viadutos no perímetro urbano da cidade e outros dois no seguimento da rodovia. Há na cidade mais 10 grandes loteamentos em fase final de urbanização e mais 4 em construção. A topografia da cidade e bem plana em quase toda a área urbana menos na área central da cidade.
[editar]
Economia

Centro de Araguari

Araguari está em 227° no ranking dos municipios Brasileiros (PIB). Produto Interno Bruto, acima de vários municípios com população superior.O município produz, em média, 600.000 sacas/ano (com 90% de suas lavouras irrigadas) de um dos cafés de melhor qualidade do Brasil e do mundo, tanto no tipo quanto no sabor. São 20.000 hectares com 42 milhões de covas além de extensas áreas com lavouras de soja, laranja, milho, arroz, tomate, feijão, maracujá, acerola e uva que são colhidas e processadas pela indústria local, o que inclui três das maiores empresas de suco do país (Dafruta, Pomar e Maguary) que produzem 70 % dos sucos consumidos no país. É também a maior produtora de tomate do Estado, inclusive o de longa vida. Em abril de 2009 foi inaugurada a fabrica da Selecta, industria de processamento de soja que gerou mais de 500 empregos. Araguari conta com varias industrias de medio e pequeno porte, Frigorificos, Calçados, Metalúrgica, Inox e varias outras, O município vem recebendo grandes investimentos, o distrito industrial está recebendo uma atenção especial do governo do estado]].

Possui também um rebanho misto de 145 mil cabeças de gado e diversos frigoríficos que completam um forte setor agropecuário altamente competitivo.

Em novembro de 2012 deverá ser inaugurado o Shopping Araguari, com três salas de cinema e grandes lojas de rede como: Lojas Americanas, Marisa, Giraffas, Ponto Frio e etc...

Araguari conta um comércio variado e várias lojas de rede, Supemercados como: Bretas, União (03 lojas), Badião (02 lojas) TeJotão e outros e vários bancos, como: Banco do Brasil, Caixa Econômica, Itaú, Bradesco, HSBC, Real Santander, Mercantil do Brasil, Aracred, Paraná Banco, BMG, Bonsucesso, Itaú Unibanco]].
[editar]
Educação

Araguari sempre contou com sistema de educação, com um quadro bem amplo de escolas com ensino médio e fundamental, sendo 18 (60%) delas Colégios Estaduais, Faculdade: Objetivo, UNIP. O município conta também com unidades do: SESI, SENAC, SENAI e várias escolas de ensino técnico, informática, agrícola, mecânica, escolas de música e teatro e outras. Mas desde de 2005 em termos de educação o que mais tem chamado a atenção de um grande número de pessoas é o crescimento da cidade na área de Ensino Superior. Araguari conta hoje com a Universidade Presidente Antonio Carlos, a UNIPAC. O ensino superior na cidade vem atraindo jovens de outras cidades para moradia ou rotinas de estudo, Está também em fase de implantação um campos da UFU, Universidade Federal de Uberlândia em Araguari, que deve oferecer quatro cursos em princípio, principalmente na área de engenharia.
[editar]
Transporte

Araguari conta com um terminal rodoviário com quase cinco mil metros quadrados. A BR 050 que está sendo duplicada, além de ser entroncamento ferroviário e por conta disso vem recebendo grandes investimentos da Companhia Vale/FCA, também possui o aeroporto Santos Dumont que recebe investimentos estaduais para voos domésticos e fretados possui uma pista de 1900 metros asfaltada. Há também escolas com ensino técnico em diversas áreas como, música, informática, agrícola, mecânica e outras.
Referências
↑ a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
↑ IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
↑ Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
↑ Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
↑ a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
↑ Área urbanizada dos municípios de Minas Gerais








Um grito de basta por Paulo Franco




Um grito de basta:

Até quando o Estado do Triangulo ficará sendo jogado para um Estado e depois para outro?
Minas Gerais até se sente dona de nós e nós nos sentimos como um filho que foi dado para uma mãe e depois para outra e outra...
Se você ouvir um Gaucho falando você diz que é Gaucho e assim o Carioca e o Paulista e outros...
Nós também temos o nosso sotaque e não falamos como os Mineiros...


TRIANGULO "MINEIRO" POR PAULO FRANCO




HISTORIA DO TRIANGULO "MINEIRO"


Em 1722, partiu de São Paulo uma expedição com destino a Goiás. Os bandeirantes "cortaram" a região e abriram a estrada do Anhanguera, ligando São Paulo ao Planalto Central. A região era conhecida como Sertão da Farinha Podre, e era ocupada pelos índios Caiapós. A escassez de ouro e de diamante no campo das vertentes e na central mineira fez com que os mineiros se dirigissem para essa região, que até o ano de 1748 pertencia à capitania de São Paulo. A partir de 1748, o Sertão da Farinha Podre foi anexado à capitania de Goiás, e recebeu o nome de Julgado do Desemboque. Só a partir de 1816 que a região foi anexada a Minas Gerais. Uberaba, fundada em 1836, teve um papel importante na história da região, e é o município mais antigo do Triângulo Mineiro.

Sítios Paleontológicos

Dinoprata

Na região do Triângulo Mineiro localizam-se dois importantes sítios paleontológicos nos municípios de Prata, e Uberaba (distrito de Peirópolis). No município de Prata, foram descobertos fósseis do maior dinossauro encontrado no Brasil, que viveu há mais de oitenta milhões de anos na região da Serra da Boa Vista, distante cerca de quarenta quilômetros daquela localidade, cujo nome científico foi denominado de Maxakalisaurus topai, e após votação popular passou a ser chamado de Dinoprata, valendo destacar que a réplica do titanossauro (montada em resina), com cerca de treze metros de comprimento, está exposta no Museu Nacional no Rio de Janeiro, desde 28 de agosto de 2006, quando foi apresentada à comunidade científica do Brasil e do Mundo, pelo líder das pesquisas, o professor e paleontólogo Alexander Kellner.

Economia

O Triângulo Mineiro é uma das regiões mais ricas do estado, com a economia voltada a distribuição. As principais indústrias ali instaladas relacionam-se aos setores de processamento de alimentos e de madeira, de açúcar e álcool, fumo e de fertilizantes. Nos últimos anos o Triângulo Mineiro é a região que mais tem recebido investimentos e mais empregos tem gerado.

Uberlândia possui o Porto Seco do Cerrado, com infra-estrutura para atender importadores e exportadores. O porto permite que o recolhimento dos custos fiscais de importação seja feito apenas no momento de sua efetiva retirada do local. Já Uberaba tem um porto seco denominado de Porto Seco do Vale do Rio Grande que recebe containers para importações e exportações de produtos. De acordo com um novo projeto a cidade pode adquirir uma alta infra-estrutura para que seu porto seco possa ser o sexto maior do Brasil, tendo como a empresa em destaque no porto seco a Hamburg Süd.

A partir de 2009, Uberlândia passou receber remessas de produtos produzidos na zona franca de Manaus para estocagem em armazém geral e em 2011 Uberaba passará a receber boa parte desses produtos.

Uberaba assim como Uberlândia possuem não só como os 2 principais aeroportos da região do Triângulo Mineiro, mas também um dos principais aeroportos do Brasil.

A região é marcada por eventos de grande importância nacional como a Expozebu em Uberaba, a Feniub em Uberlândia e a EXPOPEC e Carnaval em Ituiutaba, a Feira e Exposição agropecuária anual, que tem abrangência nacional, e acontece no mês de aniversário da cidade, Setembro.

Tem como destaque na indústria as cidades de Uberaba e Uberlândia

Esportes

As cidades que mais se destacam no lado esportivo são as cidades de Uberlândia e Uberaba. Uberlândia possui um complexo esportivo formado por um estádio, ginásio e um parque, o Parque do Sábia. O estádio João Havelange foi inaugurado em 1982 com um jogo entre Brasil e Irlanda, atualmente o estádio tem capacidade para 55.400 pessoas. Uberaba tem o estádio Uberabão o qual passa por reformas e segundo um projeto receberá uma cobertura sobre as arquibancadas. O estádio depois das reformas terá capacidade para 34.000 torcedores. Em 2010 com as reformas do Mineirão para a Copa de 2014, que será realizada no Brasil, a cidade de Uberlândia recebeu jogos do Cruzeiro Esporte Clube pelo Brasileirão Série A. As duas cidades planejam hospedar seleções para treinar em seus estádios em 2014. Em 2011 o Cruzeiro mandará seus jogos pela Libertadores no Parque do Sábia, isso se deve á Arena do Jacaré não ter uma capacidade mínima exigida.
Pólos tecnológicos

O Triângulo Mineiro tem grandes tendências tecnológicas. O município de Uberaba é pólo em genética de bovinocultura de corte e de bubalinocultura. Frutal é pólo em excelência de recursos hídricos. Existe apenas 20 pólos no mundo. Existe ainda o IFET (Antigo CEFET) que está implantado em Uberlândia, Uberaba e Ituiutaba.
Efeito etanol

O Triângulo Mineiro e parte do Estado de Mato Grosso do Sul receberão 89 novas usinas que serão construídas até 2012, um investimento estimado em 15 bilhões de reais. As usinas serão responsáveis pelo crescimento das cidades, como na geração de empregos e no mercado de ações. As principais usinas ficaram situadas na cidade de Uberaba.
O município de Santa Vitória, no pontal do Triângulo, terá o maior pólo alcoolquímico do mundo, com investimentos superiores a 2,5 bilhões de reais.

PIB

PIB de 25.389.280.000,00 reais (IBGE/2006)
PIB per capita de 17.799,65 reais (IBGE/2006)
Infraestrutura

Aérea

O Triângulo Mineiro possui apenas dois aeroportos administrados pela INFRAERO, o de Uberaba (capacidade de 200 mil passageiros por ano) e de Uberlândia (capacidade de 550 mil passageiros por ano).

Até o ano de 2011, o aeroporto de Uberlândia terá a sua capacidade aumentada para 1,4 milhão de passageiros por ano, ainda será instalado um terminal de cargas para atender as remessas de produtos industrializados da zona franca de Manaus.

O aeroporto de Frutal e de Iturama, administrados pelo governo de Minas Gerais, foram ampliados e melhorados com investimentos superiores a 3,5 milhões de reais. O aeroporto de Ituiutaba também recebeu investimentos do estado, e já faz vôos com aviões de pequeno porte, recebendo inclusive, autorização da ANAC para voos regulares de aviões de médio porte. Também há aviões particulares, os donos usam a pista para fazerem seus vôos...
Hidroviária

O Triângulo Mineiro possui dois grandes rios navegáveis, os rios Grande e Paranaíba. O governo do estado de Minas Gerais está promovendo o desenvolvimento do sistema hidroviário nesses rios. Os principais portos da região são o de Santa Vitória e de Iturama.

Comunicação

O Triângulo Mineiro é referência nacional em qualidade nos serviços de telecomunicações. Possui a cobertura de várias operadoras de telefonia móvel. Todos os municípios possuem pelo menos uma operadora atuante. As mais importantes são: Vivo, Oi, Tim, Claro, CTBC e Nextel. A operadora Vivo ganhou, recentemente, o direito de cobrir com seus serviços de telefonia e transmissão de dados a região do Triângulo Mineiro (código 34).

Logística

O Triângulo Mineiro recebeu investimentos para a pavimentação e restauração das rodovias, melhorias nos aeroportos e construção de portos.[14] O comércio atacadista se destaca na região e é referência nacional. Das 20 maiores empresas atacadistas distribuidoras do Brasil, 10 estão localizadas aqui. O Triângulo representa cerca de um terço do setor atacadista de todo o Brasil.[15]
Centro de desenvolvimento genético

Uberaba possui o maior centro de desenvolvimento genético do triângulo, Minas Gerais e o 2° maior do Brasil. O Centro de desenvolvimento genético de gado Zebu,é um dos mais modernos laboratórios para transferência de embriões e inseminação artificial do Brasil.Possui área de 6.680 m quadrados de área construída,foi construído na forma do Palácio de Jae Phur da Índia,em homenagem aos pioneiros de Zebu.
Características geográficas

Clima

Possui clima tropical de altitude, com temperaturas médias entre 17°C e 23°C e amplitude térmica anual entre 7°C e 9°C. O comportamento pluviométrico é igual ao do clima tropical, caracterizando-se por um inverno seco e frio com baixa intensidade pluviométrica e verão quente e chuvoso.

Relevo

O relevo é formado por planaltos, serras e chapadas.

Área

Área de 53.719 km²

UBERLÂNDIA

.
UBERABA

.

Patos de Minas por Paulo Franco

Av. Getulio Vargas - Centro de Patos de Minas -


Está situada na Região do Alto Paranaíba e na Mesorregião do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. Segundo estatísticas do IBGE de 2009 sua população é de 141.692 habitantes. Considerada pólo econômico regional, é a maior cidade do Alto Paranaíba, região composta por dez municípios. A cidade ganhou projeção nacional através da Festa Nacional do Milho realizada no mês de maio, movimentando vários setores da economia.
As suas principais atividades econômicas são a agropecuária e a agricultura.
Patos de Minas ocupa uma posição privilegiada no ranking das cidades mineiras, figurando entre as 20 maiores cidades do Estado de Minas Gerais em arrecadação geral de tributos do estado e a 16ª maior cidade de Minas Gerais em população.
Um levantamento feito pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (IPEA) e publicado pela revista Veja em 2001 apontou Patos de Minas como o quinto município com maior desenvolvimento socioeconômico, entre 1970 e 1996. Foram pesquisados cinco mil municípios brasileiros, de 50 a 500 mil habitantes.
Segundo dados do IBGE de 2008, Patos de Minas ocupa juntamente com outros municípios mineiros, a 3ª posição no ranking mineiro dos municípios com melhor IDF (Índice de Desenvolvimento Familiar) e um dos melhores no Brasil.
  • Índice de Desenvolvimento Familiar: 0,610
  • Acesso ao trabalho: 0,800
  • Disponibilidade de recursos: 0,740
  • Desenvolvimento infantil: 0,720
  • Condições habitacionais: 0,890
  • Acesso ao conhecimento: 0,510
  • Vulnerabilidade: 0,720
Vários fatores contribuem para o sucesso econômico e social do município, entre eles a localização privilegiada, que liga a cidade a grandes centros comerciais como São Paulo, Uberlândia e Belo Horizonte, facilitando o intercâmbio comercial, o desenvolvimento ordenado e a qualidade de vida da população

O processo de colonização da região, ocupada hoje pelo município de Patos de Minas e distritos vizinhos teve início, provavelmente, na metade do século XVIII, período que antecede a descoberta do ouro nas regiões das minas com o movimento das entradas e bandeiras rumo às terras de Paracatu.
A picada de Goiás foi o primeiro caminho oficial aberto das Minas Gerais ao território de Goiás. A partir desse período, encontra-se registrada a denominação "Os Patos" para designar a povoação à beira desse caminho. O município surgiu às margens das fontes de águas do caminho de São João del-Rei a Paracatu em busca de ouro.
A doação de terras a Santo Antônio, em 1826, para edificação de um templo e para acomodar os povos, por parte de Antônio Joaquim da Silva Guerra e de sua mulher Luísa Correia de Andrade, propiciou a origem do Arraial de Santo Antônio da Beira do Paranaíba. A criação da vila ocorreu em 1866 e a instalação em 1868.
O surgimento da cidade
A cidade de Patos de Minas surgiu na segunda década do século XIX em torno da Lagoa dos Patos, onde segundo as descrições históricas existia uma enorme quantidade de patos silvestres. Os primeiros habitantes foram lavradores e criadores de gado, sendo muito visitados por tropeiros. O povoado, à beira do rio Paranaíba, cresceu, virou arraial e depois vila, a devota vila de Santo Antônio dos Patos.
Em 24 de maio de 1892, o presidente do estado de Minas Gerais eleva a vila à categoria de cidade de Patos de Minas. Em 1943, o governo do estado mudou o nome para Guaratinga, provocando insatisfação na população. Atendendo aos apelos populares em 3 de junho de 1945, muda novamente para Patos de Minas para distingui-lo de Patos da Paraíba, município mais antigo. Seu aniversário é comemorado em 24 de maio, ocasião em que se realiza a "Festa Nacional do Milho".
No início da década de 1930, com a ajuda do governador Olegário Maciel, sendo prefeito o Sr. Clarimundo José da Fonseca Sobrinho(Camundinho), foram construídos simultaneamente a Escola Normal, Escola Estadual Marcolino de Barros, Fórum e o Hospital Regional. Que deram uma dimensão nas áreas de educação, justiça e medico-hospitalar.
No pós-guerra e sobretudo na década de 1950, Patos registrou um notável crescimento, que fez o número de habitantes saltar de 64 mil, em 1950 para 97 mil em 1960. Um crescimento que deveria aumentar com a mudança da Capital Nacional para Brasília em abril de 60.
Ao invés de uma década de triunfo, uma década de frustração. Principalmente pela emancipação política de dois importantes distritos em 1963: Lagoa Formosa e Guimarânia. Muitos patenses mudaram-se para Brasília. Que reduziu drasticamente a população, cerca de 20 mil habitantes, e o animo do povo.
Na década de 1970, raiou a esperança de crescer e o município não perdeu a chance. A construção da BR-050 em 1972, da BR-365 em 1974 e a descoberta de uma gigantesca jazida de Fosfato na Rocinha abriu as portas para o desenvolvimento.
Os gaúchos implantaram suas fábricas de sementes em Patos, Agroceres em 1974, com a atividade reforçada pelo milho híbrido em 1975.
Infraestrutura
Igreja Matriz de Patos de Minas.
Desenvolvimento sustentável
A cidade é moderna, limpa, bem organizada, de topografia plana e clima agradável (variando de 17 °C a 32 °C). A infraestrutura é adequada para receber pessoas e investimentos.
Cerca de 99% das ruas da cidade são asfaltadas e possuem iluminação pública.
Quase a totalidade dos habitantes (97%) são beneficiados com água tratada de excelente qualidade. O sistema de abastecimento de água da Copasa em Patos de Minas foi premiado duas vezes pela ABES - Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, recebendo o Prêmio Nacional de Qualidade em Saneamento.
Em 2002, o sistema de esgotamento sanitário atinge cerca de 98% da população.
Saúde
A área da saúde é destaque no Estado de Minas Gerais e no Brasil, devido, entre outros fatores, aos programas desenvolvidos, aos postos de assistência localizados em áreas estratégicas e aos baixos níveis de mortalidade infantil registrados. Os hospitais particulares e públicos tem capacidade de 300 leitos atendendo também em cidades vizinhas. Os hospitais contam com uma equipe médica de alta competência sendo constantemente elogiada, e uma infra-estrutura habilitada, com equipamentos de alta tecnologia para melhor desempenho de suas funções se tratando de saúde.
Educação
A rede escolar possui boa infra-estrutura, entre escolas estaduais, municipais e particulares, do ensino infantil ao 2º grau e do profissionalizante ao universitário. Em 2000 a rede municipal atendia mais de 10 mil alunos e a evasão escolar era quase nula. Considerada pólo educacional, a cidade é sede da 28ª Superintendência Regional de Ensino que abrange 14 municípios.
No Ensino Superior estão presentes o UNIPAM - Centro Universitário de Patos de Minas, o mais antigo, pertencente à FEPAM - Fundação Educacional de Patos de Minas; a SESPA e a FPM - Faculdade Patos de Minas, além de cursos ministrados à distância como o EADCON. Alguns cursos do IFET Uberaba serão ministrados numa extensão que está em fase de implantação. Também estão presentes a FINOM - Faculdade do Noroeste de Minas e a UNINGÁ, com cursos de pós-Graduação, além do Curso a Distância de Pedagogia pela UFU - Universidade Federal de Uberlândia.
Em abril de 2010 foi anunciada a vinda de uma extensão da UFU com cursos ainda a ser definidos. A instalação de um campus avançado da UFU já foi confirmada e, em 2011, irão funcionar 3 cursos da área de Engenharia em Patos de MInas.
UFU - Universidade Federal de Uberlândia - Campus Patos de Minas
Curso ↓
Turno ↓
Modalidade ↓
Habilitação ↓
Engenharia de Alimentos
Diurno
Bacharelado
-
Biotecnologia
Diurno
Bacharelado
-
Engenharia de Telecomunicações
Diurno
Bacharelado
-

Unipam - Centro Universitário de Patos de Minas
Curso ↓
Turno ↓
Modalidade ↓
Habilitação ↓
Administração
Diurno e Noturno
Bacharelado
Administração Geral / Gestão Financeira / Gestão de Agronegócios / Gestão de Pessoas e Marketing
Agronomia
Diurno e Noturno
Bacharelado
Ciências Biológicas
Diurno e Noturno
Licenciatura e Bacharelado
Ciências Contábeis
Noturno
Bacharelado
Comunicação Social
Noturno
Bacharelado
Jornalismo / Publicidade & Propaganda
Direito
Diurno e Noturno
Bacharelado
Educação Física
Noturno
Bacharelado e Licenciatura
Enfermagem
Diurno e Noturno
Bacharelado
Engenharia Ambiental
Noturno
Bacharelado
Engenharia Civil
Noturno
Bacharelado
Engenharia de Produção
Noturno
Bacharelado
Engenharia Química
Noturno
Bacharelado
Farmácia
Diruno
Bacharelado
Análises Clínicas
Física
Noturno
Licenciatura
Fisioterapia
Diurno e Noturno
Bacharelado
História
Noturno
Licenciatura
Letras
Noturno
Licenciatura e Bacharelado
Língua Portuguesa e Literatura
Matemática
Noturno
Licenciatura
Medicina
Diurno
Bacharelado
Nutrição
Noturno
Bacharelado
Pedagogia
Noturno
Bacharelado
Magistério / Supervisão Pedagógica / Orientação Educacional / Inspeção Escolar
Psicologia
Noturno
Bacharelado
Formação de Psicólogo
Química
Noturno
Licenciatura e Bacharelado
Secretariado Executivo
Noturno
Bacharelado
Sistemas de Informação
Diurno e Noturno
Bacharelado
Zootecnia
Noturno
Bacharelado
FPM - Faculdade Patos de Minas
Curso ↓
Turno ↓
Modalidade ↓
Habilitação ↓
Administração
Bacharelado
Biomedicina
Bacharelado
Biologia
Educação Física
Enfermagem
Bacharelado
Farmácia
Bacharelado
Fisioterapia
Bacharelado
Matemática
Nutrição
Bacharelado
Odontologia
Bacharelado
Psicologia
Bacharelado
Formação de Psicólogo
Química
Bacharelado
Engenharia Elétrica
Bacharelado
Sespa - Sociedade de Ensino Superior de Patos de Minas
Curso ↓
Turno ↓
Modalidade ↓
Habilitação ↓
Educação Física
Noturno
Bacharelado

Obras
Os projetos públicos mais importantes são a melhoria elétrica e a revitalização do Mercado Municipal, a revitalização do Parque do Mocambo e do complexo da Lagoa Grande, a construção da Estação de Tratamento de Esgoto e três viadutos: um sobre a Fátima Porto, ligando a região central à Cidade Administrativa, que já está em pleno funcionamento, que tenta centralizar todos os serviços públicos do município no Bairro Eldorado. Os outros dois serão construídos no Trevo da Pipoca (saída para Brasília) e no Trevo do Aeroporto na BR-354 (Saídas para Belo Horizonte e Uberlândia). Este último já em construção. O 'trevo da pipoca' foi inaugurado pelo presidente Lula, via vídeo-conferência, no dia 14 de junho de 2010. No âmbito privado as maiores iniciativas serão a futura construção do Campus do UNIPAM na Avenida Marabá. A ampliação da Cemil, no Distrito Industrial II. Tanto o estádio quanto o frigorífico já estão funcionando 'a pleno vapor'.
A Ceasa Regional foi inaugurada dia 28 de junho e contou com a presença de autoridades do município e do Estado na área de abastecimento e desenvolvimento econômico.
Economia
Agropecuária
A agropecuária é a principal atividade econômica da cidade de Patos de Minas.
A agricultura é bastante diversificada com produção de grãos e hortifrutigranjeiros. Os produtos que se destacam são o milho, arroz, soja, feijão, café, maracujá, tomate e horticultura.
O município e região possuem modernos sistemas de irrigação de lavouras. Patos de Minas é considerada modelo nesse sistema, com destaque até mesmo pelo página da Universidade da Califórnia, EUA.
A bovinocultura possui significativa importância econômica e social para o município, com um rebanho de 195.422 cabeças (levantamento da Censo Agropecuário do IBGE - 2008). Patos de Minas também é considerada pólo nacional de genética suína, detendo 70% da tecnologia nacional em melhoramentos suínos, tendo um efetivo de 165.000 cabeças.
O Censo Agropecuário realizado pelo IBGE em 2008 coloca Patos de Minas como o segundo município com maior produção de leite do país, atrás apenas do município de Castro no Estado do Paraná e à frente de Piracanjuba, em Goiás. O rebanho de vacas ordenhadas no município era de 58.040 vacas e 109.696 litros de leite tiradas.
O negócio no campo ganhou tanto status por aqui que mereceu recentemente reportagem de capa na Revista Exame (14 de Novembro de 2001) intitulada "Virada no Campo".
Com cerca de 450 indústrias e 2.500 estabelecimentos comerciais, o município participa com 0,38% da arrecadação do ICMS no Estado de Minas Gerais. Somando-se a outras receitas, ocupa o 19º lugar na arrecadação geral do Estado e o16º em população. Patos de Minas é tida como referência na prestação de serviços para diversos municípios de uma vasta região do estado. Nas décadas de 80 e 90 o crescimento deste setor somou mais de 130%.
Turismo
Parque do Mocambo
Patos de Minas apresenta um grande potencial para o desenvolvimento do Turismo de Eventos, de Negócios e do Ecoturismo, oferecendo toda a infra-estrutura necessária para atender bem aos visitantes. Conta com uma moderna rede hoteleira e bons restaurantes, incluindo os de comida italiana, japonesa, chinesa libanesa e mexicana, além dos bares, pizzarias e fast foods. As vias de acesso à cidade estão em bom estado de conservação. Todos esses fatores aliados à segurança e à hospitalidade do povo patense criam um ambiente favorável ao turismo e consolidam a vocação do Município para o comércio e prestação de serviços. Com uma paisagem formada por suaves montanhas e uma vegetação típica do cerrado, Patos de Minas ainda esconde recantos naturais propícios para o desenvolvimento dos esportes ligados à natureza e do turismo rural.
Esportes
O futebol é o principal esporte da cidade, com o basquete vindo em segundo lugar. Patos de Minas é conhecida no estado por seus times tradicionais de futebol: a União Recreativa dos Trabalhadores e também o Esporte Clube Mamoré, cujo novo estádio foi construído recentemente. No futebol amador se destacam o Paranaíba; o Clube Atlético Olaria, do Bairro Rosário e o Vila Esporte Clube, do Bairro Vila Garcia. As escolinhas de futebol mais importantes da cidade são essas, juntamente com a do PTC e do Caiçaras Country Club, principais clubes recreativos da cidade.
O desporto em todas as suas esferas é coordenado pela Liga Patense de Desportos (LPD). Também merecem destaque a importância que vem ganhando alguns esportes como o mountain bike e o motocross. As escolas também realizam um trabalho muito importante com os estudantes e todos os anos são realizados os JOJU - Jogos da Juventude. Em 2006 a cidade sediou as finais do JIMI - Jogos do Interior de Minas e os JUEMG - Jogos Universitários do Estado de Minas Gerais, que foram realizados no UNIPAM.
Geografia
Demografia
A população do município de Patos de Minas, de acordo com o último censo realizado pelo IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, divulgado em 1º de dezembro de 2010, apresenta os seguintes dados:
  • População masculina: 67.989 habitantes - 48,97%,
  • População feminina: 70.847 habitantes - 51,03%,
    • Total das populações por gênero: 138.836 habitantes - 100,00%.
  • Zona urbana: 127.864 habitantes - 92,10%,
  • Zona rural: 10.972 habitantes - 7,90%,
    • Total da população do município: 138.836 habitantes - 100,00%.
Hidrografia
Bacia hidrográfica
Relevo e topografia
Relevo
  • Altitude máxima: Divisa com o município de Cruzeiro da Fortaleza – 1.193 mts
  • Altitude mínima: Foz do Córrego Sussuarana – 765 mts
  • Ponto central: 833,84 mts
Topografia
  • Plano: 5%
  • Ondulado: 90%
  • Montanhoso: 5%
Áres urbanizada
De acordo com a EMBRAPA, Patos de Minas é o 16º maior município urbanizado de Minas Gerais.
1º) Belo Horizonte - 282,3 km²
2º) Uberlândia - 135,3 km²
3º) Contagem - 99,9 km²
4º) Betim - 77,4 km²
. . .
16º) Patos de Minas - 22,77 km²
Referências
  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010. Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Página visitada em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
·         http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/f/f4/Bandeira_de_Minas_Gerais.svg/25px-Bandeira_de_Minas_Gerais.svg.pngPortal de Minas Gerais